Grupos de Crescimento


Avivamento é arrependimento, confissão e abandono da vida de pecado, é a volta à Palavra de Deus, a volta à busca da presença de Deus, à comunhão com a igreja, ter uma vida santificada, para então frutificar e multiplicar.

 

A igreja em Aliança de ministérios é uma proposta divina para: salvação, cura, libertação e preparação dos santos para o serviço do ministério Cristão, é uma proposta de vitória e conquista para o reino de Deus.

 

O propósito de Deus para com cada crente é que ele seja um ganhador, um multiplicador de vidas.

 

Cabe a igreja, via seus ministérios, aperfeiçoar os santos para o serviço cristão (ministério) para que todos sejam frutíferos multiplicadores de vidas.



1. A VISÃO

Em Mateus 28:18, o povo de Deus recebe a promessa e a autoridade do Senhor, para a proclamação do Evangelho.

 

Mas, por que a igreja não evangeliza como deveria ? – Será que Deus vai multiplicar esse tipo de cristianismo que hoje se vê e hoje se vive ?

 

Quantos hoje abandonaram o seu primeiro amor, bem como a visão e o sonho de Deus para a sua vida ?

 

Nada é mais frustrante do que viver uma vida sem o propósito original de Deus.

 

Você foi criado (a) para ter comunhão com Deus, com seus irmãos e dar frutos. O Espírito Santo em nós tem o poder de nos fazer frutíferos. (Atos 1:18).

 

Jesus também disse que faríamos as obras que Ele fez e até maiores. (João 14:12).

 

Você já fez ou está fazendo pelo menos as obras que Jesus fez ?

 

Nesses últimos dias, Deus vai te levar a fazê-las.

 

Porque nesta Visão, quem está deitado, se assenta. Quem está assentado, fica em pé. Quem está em pé, corre. Quem está correndo, voa. Quem está voando, rompe a barreira do som.

 

O Senhor vai te levar a correr mais veloz que a corça, a voar mais alto que a águia.

 

O mover de Deus é dinâmico e Ele opera de forma diferente em cada pessoa.

 

Você faz parte do povo escolhido de Deus, e esse povo não tem comparação com nenhum outro.

 

Você está entrando pelas portas da Igreja em Avivamento, pois Deus está restaurando sua Igreja, e Ele anseia em restaurar você.

 

O dia do Senhor está próximo (Joel 2:1) os sinais de sua vinda cada vez aumentam mais, por isso o Senhor está apressado em restaurar a sua Igreja (Efésios 5:27). Deus quer uma Igreja sem ruga e sem mácula, marcada pela santidade, e para isso, tudo o que não pertence a ela tem de sair, toda raiz e planta que Deus não plantou tem que ser arrancada.

 

A igreja hoje está cheia de religiosidade. Muitas perderam a visão que está no coração de Deus: Vidas e Discípulos.

 

Essa nova Visão restaura a Igreja, promove a unidade, o amor e a colheita de almas (vidas). Ela leva a igreja de volta ao princípio de Atos, ao princípio que Deus desenhou, traçou para a sua igreja, não somente a primitiva, mas para a sua igreja de todos os tempos e de todas as eras.(Atos 2:42).

 

Atos é o único livro que não tem um final, porque os atos da igreja continuam ainda hoje.

 

Você está convidado, convocado a escrever mais uma página deste livro, mas, não queira entrar na visão.Deixe a visão entrar em você. Quando eu entro na visão, quero fazer as coisas do meu modo, do meu jeito, mas quando ela entra em mim, Deus é quem vai fazer as coisas do jeito e do modo dEle.

 

Esta é uma visão para servos e não para senhores. Deus precisa de servos que deixem-se serem tratados, podados, para dar frutos. Deus quer te dar uma Unção de Frutificação, de Multiplicação, para que toda a esterilidade da sua vida seja removida, a fim de que você possa produzir.

 

Deus criou o homem e colocou nele esta unção de multiplicação. (Gênesis 1:28).

 

Hoje essa palavra se refere a Filhos na Fé.Refere-se a povoar a terra de cristãos.

 

Você se lembra qual o propósito de Deus para a sua vida ? – GANHAR VIDAS -, não é carro, apartamento, chácara, casa na praia, celular... mas Ganhar Vidas. (Mateus 6:33).

 

O propósito desta visão é cumprir o propósito de Deus em você ser um multiplicador, um ganhador de vidas.

 

O objetivo da Visão é restaurar, e preparar a igreja para o arrebatamento.

 

O objetivo da Visão é que a igreja cresça, e que o reino de Deus se expanda sobre a terra.

 

Você precisa começar a ser tratado, e também pagar o preço pela sua igreja e fazer a diferença onde você estiver.

 

Você faz parte desta visão, você faz parte desse Projeto de Deus: dar frutos bons.

 

Cremos que uma das grandes ferramentas de Deus para o aperfeiçoamento da igreja é o Encontro com Deus.

 

Ele é um dos ministérios / projeto na visão da igreja em Aliança de Ministérios.

 

Sua proposta é sarar os crentes, levá-los a ter uma nova intimidade com o Senhor, impulsioná-los a cumprir com a ordem de Cristo.

 

No Encontro o crente ou o novo convertido, é perdoado, sarado, curado e liberto. É colocado de novo no caminho e motivado a viver como cristão de fato e verdade.

 

Mas, logo após o Encontro, o salvo deverá continuar a caminhar por toda a visão, para não interromper o processo de aperfeiçoamento e tratamento do seu caráter.

 

Portanto, ele deve imediatamente matricular-se no CETEBAN – Centro de Estudos Teológicos Batista Nacional, pois ali ele receberá toda a base bíblica e teológica para cumprir o propósito de Deus em sua vida. Esse é o primeiro passo.

 

Mas, paralelamente ao ensino que estará recebendo via CETEBAN, ele deverá também percorrer os demais passos dentro dos ministérios que compõe a Aliança de Ministérios, cada Projeto, é mais uma ferramenta de Deus para o seu aperfeiçoamento, até que se atinja a estatura de Cristo.

 

O GC - não é uma doutrina e muito menos um dogma, é uma visão para promover;

 

1 – A Restauração da Igreja ;

 

2 – O Crescimento Sadio da Igreja ;

 

3 – A Expansão do Reino de Deus sobre a face da terra.



2. A IMPORTÂNCIA DO GRUPO DE CRESCIMENTO

O Que é um GC?

 

Um GC é um grupo constituído de cinco a quinze pessoas, reunindo-se semanalmente para aprender como tornar-se uma família, adorar o Senhor, edificar a vida espiritual uns dos outros, orar uns pelos outros e levar pessoas ao Evangelho.

 

1.Onde um GC se reúne?

 

Apesar de preferirmos residências, um GC pode se reunir também em empresas (na hora do almoço), em escolas, em salões de festas (de condomínios) e em qualquer lugar onde haja um mínimo de silêncio e privacidade. Só não recomendamos reuniões em bares ou lugares semelhantes.

 

2.Por que um GC não pode ter mais de quinze pessoas?

 

Cada GC deve ter no mínimo cinco pessoas e não deverá ultrapassar o limite de quinze, pois não há tempo suficiente numa reunião para mais de quinze pessoas receberem ministração e compartilharem no grupo. É muito difícil para um líder, mesmo com um auxiliar, apascentar mais de quinze pessoas. Também, as casas, normalmente, não comportam mais do que quinze pessoas numa sala, para uma reunião.

 

A razão para se limitar o número de pessoas numa reunião de GCs tem muito a ver com “linhas de comunicação”. Quando duas pessoas se encontram, existem duas linhas de comunicação. Quando três estão reunidos, existem seis. Se há quatro pessoas reunidas, então temos doze. Se há cinco, o número sobe para vinte, e quando chega a dez, já são noventa linhas de comunicação. Quinze pessoas reunidas resultam em 210 linhas de comunicação, ou seja, a comunicação já não é apropriada, portanto, quando atingir o limite de 15 pessoas, o GC deve se multiplicar.



3.Isso pode não ser um GC!

Existem alguns tipos de grupos que não são GCs. Assim precisamos também saber o que não é um GC.

 

a) Grupo de oração

 

b) Grupo de estudo bíblico

 

c) Grupo de discipulado

 

d) Grupo de cura interior

 

e) Grupo de apoio

 

f) Ponto de pregação

 

g) Qualquer grupo com as seguintes características:

 

Grupo fechado, criado só para as pessoas de um departamento da igreja;

 

Qualquer grupo que não tenha a multiplicação como objetivo;

 

Qualquer grupo que não se submeta à liderança geral dos GCs;

 

Qualquer grupo que seja apenas uma reunião social.

 

Cuidado! Não se engane! Esses grupos acima não são GCs!

 

Os grupos citados nas alíneas (a) a (e), não são GCs porque cada um deles têm suas próprias características, que diferem do propósito de um GC.



4. Como é um GC?

O GC não é um grupo de oração, ainda que a oração seja um dos seus ingredientes básicos. Não é um grupo de discipulado, ainda que o discipulado aconteça espontaneamente. Não é um grupo de estudo bíblico, ainda que a edificação seja forte nas reuniões. Não é um grupo de cura interior, ainda que seja um lugar de restauração. Não é um ponto de pregação, ainda que o objetivo básico de cada GC seja a multiplicação. O GC é um pouco de cada um desses grupos.

 

O GC da igreja pode ser comparado a uma célula do nosso corpo. A célula não é o corpo todo, mas traz dentro de si todas as informações necessárias para gerar um corpo inteiro. Isto é o que nós chamamos de informação genética. Nesse contexto, GC é simplesmente uma miniatura da igreja, reunindo-se nas casas. Não existe algo tal como um ministério de GCs; os GCs são o lugar onde os ministérios afluem.

 

O GC é muito maior que a sua reunião. Se o GC só existe no dia da reunião, então não é um GC, mas apenas um culto caseiro. o GC acontece a semana toda: no supermercado, no shopping, na caminhada, no lazer, nas casas. Sempre que os irmãos se encontram, o GC acontece. A primeira característica do GC é ser comunidade, e não o fato de existir como uma reunião.

 

a)O GC não é um lugar onde, a cada semana, comparece um grupo diferente de pessoas.

 

Apesar da reunião de GC não ter como objetivo o evangelismo, o visitante será sempre bem-vindo. Na verdade, o GC visa a multiplicação, enquanto a reunião propriamente dita, está voltada para edificação.

 

Ainda que a reunião não seja evangelística, todo o projeto final do GC visa à multiplicação. Crentes realmente edificados na Palavra são crentes frutíferos. É o lugar adequado para se frutificar é no círculo familiar, na escola, no trabalho. A reunião do grupo funciona como um lugar de motivação, para que cada um possa enfrentar, com ousadia, a guerra lá fora, e se integrar à Igreja, onde será treinado e aperfeiçoado na Aliança de Ministérios.

 

b)Um GC possui endereço e dia certo de reunião.

 

Existem igrejas onde a reunião do GC é feita, a cada semana, na casa de um dos membros do grupo. A nossa experiência, porém, tem demonstrado, que um lugar de reunião definido produz no grupo um senso de identidade, constância e segurança.

 

c)O GC se reúne regularmente.

 

A chave para a comunhão é a constância, a regularidade. Não basta ter um lugar de reunião, é preciso que o grupo se reúna numa base regular, semanalmente. Nenhum relacionamento sólido e gratificante pode ser construído sem convivência. É a convivência que vai produzir vínculos de amor, de amizade e de aceitação.

 

d)O GC é homogêneo.

 

Quando participamos de um grupo que possui as mesmas características gerais peculiares a nós, nos sentimos muito mais à vontade para compartilhar. Em nossa igreja, os GCs são padronizados por faixa etária e não por sexo. Assim, temos ministérios de GCs de crianças, adolescentes, jovens e casais (mas temos também alguns GCs mistos).

 

EXEMPLO ORGANIZACIONAL DOS GCS.



3. QUEM PODE DIRIGIR UM GC ?

 

Todo crente que:

 

1. Tenha passado pela classe Primeiros Passos da E.B.D., e que tenha sido batizado.

 

2. Tenha participado da consolidação.

 

3. Tenha participado da Integração.

 

4. Tenha feito Veredas Antigas e Grupo de Processo.

 

5. Tenha feito Encontro com Deus.

 

6. Esteja matriculado ou concluído o CETEBAN.

 

7. Continue a participar dos demais Ministérios da Aliança.

 

8. De preferência tenha dom ou ministério evangelístico

 

9. seja hospitaleiro e acolhedor.

 

10. Tenha a aprovação do coordenador dos GCs.

 

11. Tenha aprovação do conselho de lideres.

 

12. Tenha aprovação do conselho de ministros.

 

13. Tenha sido treinado para começar um GC.

 

Das reuniões semanais ;

 

1. As reuniões deverão acontecer de preferência em dias em que não haja cultos no templo.

 

2. Deverá obedecer a horário de inicio e término. (2 horas).

 

3. Deverá encaminhar os novos convertidos para a Igreja e envolvê-lo na Aliança de Ministérios.

 

4. O Ensino / tratamento, aperfeiçoamento se dará via ministérios da Aliança.

 

Tempo de Duração:

 

1. O grupo se reunirá semanalmente e a cada nove meses deverá promover sua multiplicação.

 

Como começar um GC.

 

A primeira fase é a da comunhão. É uma das mais importantes e precisa ser apropriadamente estabelecida. Dura em torno de 30 dias e pelo menos 4 passos devem ser dados:

 

1- Convergir expectativas.

 

2- Estabelecer o alvo.

 

3- Reafirmar a Visão da Igreja.

 

4- Estabelecer o pacto do grupo.



1. Convergir Expectativas:<

br />

 

Ao iniciar um GC, logo na primeira reunião, o líder deve explicar aos membros: o que é e como funciona o GC. Cada membro precisa saber qual é a dinâmica da reunião e o que se espera dele. Também deve se esclarecer sobre o que não é um GC, para que ninguém tenha expectativas erradas.



2. Estabelecendo o Alvo

Na segunda reunião, o líder deve expor de forma bem clara, os 4 objetivos do GC:

 

1. Comunhão;

 

2. Edificação ;

 

3. Serviço ;

 

4. Multiplicação ;

 

Também deve se definir a data da multiplicação do grupo.

 

Obs: Quando os membros do GC são previamente informados sobre os objetivos, uma de duas coisas acontece: ou eles se comprometem e se motivam mais, ou abandonam o grupo.



3. Reafirmar a Visão da Igreja

Cada membro do GC precisa ver a IBNC como parte do corpo, o GC como parte da IBNC e ele próprio como parte do corpo GC. Deve procurar manter um equilíbrio entre a Reunião do GC e as reuniões de Celebração da Igreja. Todo membro deve participar dessas reuniões.

 

Cada membro tem de ser encaminhado para todos os passos na Visão da Igreja, através da participação dos Projetos via os ministérios da Aliança.

 

É através da participação dos ministérios, que o novo convertido será: consolidado, integrado, batizado, e aperfeiçoado via os demais projetos que compõe a Aliança de Ministérios.



4. Estabelecer o pacto / aliança do grupo – GC –

O nosso crescimento espiritual depende de 3 coisas:

 

1. compromisso

 

2. relacionamentos

 

3. disciplina

 

Sem compromisso e sem aliança não podemos edificar verdadeiramente a igreja. Sem compromisso mútuo, o GC não pode existir. Mostramos o nosso compromisso com Deus, quando temos compromisso com os nossos irmãos. Os pactos devem ser firmados e relembrados, freqüentemente pelo líder.

 

Pactos / Alianças

 

- De amor incondicional. (Col. 3:4-15).

 

- De honestidade. (Ef. 4:25-32).

 

- De transparência. (Rom. 7:15-25).

 

- De oração. (IITess. 1:11-12).

 

- De sensibilidade.(João 4:1-29).

 

- De disponibilidade (At.2:47).

 

- De ser confiável (Pro. 10:19;11:9-13;12:23;15:4;18:6-8).

 

- De prestação de contas (Ef. 3:16-21;Mat.18:12-20).

 

- De assiduidade (Luc. 9:57-62).

 

- De multiplicação (Mat.25:31-46).

voltar