Faço como Vejo

“Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente. Ponham em prática o que vocês receberam e aprenderam de mim, tanto com as minhas palavras como com as minhas ações. E o Deus que nos dá a paz estará com vocês (Filipenses‬ ‭4:8-9‬‬)

Há poucos dias vi nas mídias sociais a foto de uma mãe com a sua filha de menos de um ano. A mãe estava agachada no jardim da casa, e sua pequena filha na mesma posição que ela. O pai achou tão engraçado que tirou uma foto e postou.

Este fato ilustra a questão de que nossos filhos aprendem muito mais de nós pelo que fazemos do que pelo que dizemos. Logo, nós como filhos, aprendemos alguns comportamentos de nossos pais e provavelmente os estamos reproduzindo em nossas vidas e famílias. Os hábitos e comportamentos da nossa família de origem influenciam também os nossos. Podemos adquirir tanto bons como maus comportamentos e hábitos.

E o que muitas mulheres detestam pode vir a ocorrer, passar a se comportar como suas mães. Para evitar isto é preciso identificar os maus comportamentos adquiridos e transformá-los em bons padrões de comportamento.

Certa pesquisadora identificou cinco maus comportamentos usuais das mães:

  1. Centralizadora – procura controlar a vida da sua filha;
  2. Desaparecida – torna-se ausente física e emocionalmente;
  3. Crítica – muito crítica, e não fica chateada de chamar sua filha de muito alta, baixa, gorda ou magra;
  4. Fantoche Impotente – não consegue fazer nada por si mesma, depende dos outros para tudo, e
  5. A rainha do drama – a vida é o maior drama que ela vive.

Mas se as mães podem se comportar assim, os pais também possuem uma lista de maus comportamentos que os filhos podem adquirir:

  1. Narcisista – acha que tudo é sobre ele;
  2. Desaparecido – torna-se ausente física e emocionalmente;
  3. Crítico – somente critica ou nunca encoraja;
  4. Café com Leite – passivo e nunca toma o controle, e
  5. Senhor pulmão – grita para convencer a família.

Estes padrões podem afetar o casamento a tal ponto que se o garoto vê seu pai desrespeitando sua mãe, ele poderá tanto agir assim com sua esposa como poderá tornar-se passivo como sua mãe. Assim também com a esposa.

Talvez seus pais tenham sido um bom modelo de casamento, mas o seu cônjuge não teve isto. Você espera que seu cônjuge comporte-se como seus pais, mas ele(a) não sabe fazer assim, pois nunca viu este comportamento antes e não sabe como agir, gerando frustração.

E as regras da família? Pode-se falar durante as refeições ou não? Onde se aperta o tubo da pasta de dente, no meio ou na ponta? Como citei em outro texto, na minha casa a salada era temperada com azeite e na casa da Telma com vinagre, e tivemos que combinar até isto.

Portanto, um casamento saudável é baseado em respeito e adaptação às mudanças e diferenças. Nossos pais não são perfeitos, assim como nós, que poderemos errar em alguma situação.

Para entender como eles se comportavam e se isto está lhe influenciando, observe se seus pais demonstravam amor e respeito um pelo outro, em público e em particular. Se os filhos foram tratados como ídolos colocando o casamento em segundo plano, ou se houve um balanceamento. Eles usavam palavras suaves um para com o outro ou eram sarcásticos ou abusivos. Suas palavras traziam cura ou ferida, e se eles demonstravam um coração grato a Deus por terem um ao outro e pelos dons concedidos a eles.

Verifique a saúde do seu casamento e tome a decisão de rever os maus comportamentos adquiridos. Vá a um seminário, conferência ou encontro de casais ao menos anualmente para fazer um inventário dos comportamentos a melhorar, dos maus hábitos a mudar e encontrar o caminho do aperfeiçoamento.

Nos versículos acima o Apóstolo Paulo nos ensina a encher nossas mentes com tudo o que é bom e colocar em prática o que ele falou com palavras e com ações. Então, identifique bons modelos de comportamento, coloque-os em prática em seu casamento e viva cada dia melhor.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

  • Quais maus comportamentos e hábitos identifico em mim?
  • Como posso modificar estes comportamentos e melhorar meu relacionamento conjugal?

“Pai celestial, te agradeço pelos meus pais e por tudo que me ensinaram. Eu os perdoo por todo mau comportamento e hábito que me influenciou negativamente e peço que o Senhor possa me ensinar a agir de uma maneira agradável, respeitosa e amorosa para com meu cônjuge. Amém!”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here